espiritualidade e corona vírus

Coronavírus: Espiritualidade consciente

A maior parte dos espiritualistas fica se perguntando qual a razão espiritual do COVID-19 e os efeitos da pandemia no planeta Terra. Como astrólogos já tinham previsto, e você pode ler inclusive aqui, neste portal, artigos publicados em 2018 e 2019, o ano de 2020 chegou para botar ordem em muita coisa.

E se tem algo que precisa ser visto com mais responsabilidade e austeridade é a vida religiosa e espiritual do ser humano.

Espiritualidade exige o mínimo de racionalidade. Os verdadeiros espiritualistas são amigos da ciência e entendem a responsabilidade como maior amiga do carma. Não importa qual a ação que você tome, ou deixe de tomar, a vida vai cobrar o preço do que foi ou não feito.

Qualquer religioso que despreze a medicina e se apega somente à religião para um processo de cura é um criminoso. A espiritualidade deve ser um apoio, uma terapia complementar. Mas se o Criador disponibilizou a benção da vacina, do remédio, é porque elas se fazem essenciais.

Neste momento, muito sabiamente, o Papa Francisco solicitou o fechamento das igrejas e uma série de medidas para conter a proliferação do vírus.

Muitos centros espíritas e terreiros responsáveis entendem que o momento pede cautela, responsabilidade e racionalidade e suspenderam suas atividades temporariamente. Não se trata de falta de fé, mas de amor ao próximo. Muitas pessoas que frequentam as casas, o fazem porque estão doentes e, se forem contaminadas, podem ter grandes problemas, com riscos até de vida. Muitos médiuns, se não estão nos grupos de risco, têm filhos pequenos, pais e avós que fazem também podem ter grandes problemas se infectados.

Não duvidamos do poder da fé, dos passes, da oração, do Reiki. Temos certeza absoluta que são fundamentais para apoiar a cura. Mas não podemos desprezar medidas absolutamente práticas e importantes para não colocar vidas em risco.

Precisamos manter a fé que tudo está sob proteção Divina e que, se fizermos o que é certo, teremos a ajuda do Plano Maior. Mas é preciso responsabilidade. Um pastor, um pai de santo que coloca a vida de seus seguidores em risco é irresponsável para com a sociedade, e certamente, terá de acertar as contas por não saber orientar e cuidar de seus tutelados.

Fica aqui uma estorinha que vi no Facebook, contada pelo escritor Alexey Magnavita e ilustra muito o que digo:

Ocorreu uma enchente, calamidade total, mas a população saiu a tempo, confiando nas orientações técnicas. Seu Crentucio ficou isolado no telhado, orando.

Veio um barco:
– Vem, seu Crentucio! Viemos te buscar!
– Não! Deus é fiel e vai me salvar!

Veio um helicóptero:
– Seu Crentucio, sobe! Viemos te salvar! A água ta subindo, seu Crentucio!
– Não vou!!! Deus vai me salvar!!!

A água subiu e Crentucio morreu afogado.

No Paraíso, deparou-se com Deus em pessoa. Furioso, Crentucio disse:

– Não quero saber de você! Rezei tanto e você não salvou minha vida!

Deus girou seus olhinhos oniscientes e disse:

– Eu mandei um barco e um helicóptero…


Ricardo Hida é astrólogo, tarólogo e babalorixá. Autor do livro Guia para quem tem Guias – Desmistificando a Umbanda. Apresentador do programa “Encontro Astral”, todas às terças-feiras, às 19h30, na rádio Vibe Mundial, 95,7 FM.

 

 

Tags Related
You may also like
Comments

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *