background img
banner
chuchu e o tempo

O tempo e o chuchu: remédio para ansiedade

Já tivemos oportunidade de falar em outros posts, mas não custa repetir: há uma imensa falta de habilidade, na maior parte das pessoas, em lidar com o tempo. Daí se explica, possivelmente, o problema da ansiedade que se transforma em uma pandemia psicológica.

Tempo é, inclusive, um orixá no panteão africano. E, por conta de seus mistérios, é pouco conhecido e celebrado, quando comparado à Exu, Ogum ou Iemanjá, por exemplo.

Para os gregos e romanos, Saturno ou Cronos, também era um deus temível, irascível, de poucos amigos. Ao ponto de ser conhecido na Astrologia como um planeta maléfico.  Isto porque, apesar de estruturador, é limitador, impondo o peso da maturidade e da disciplina a todos os terráqueos.

Na Astrologia Cármica,  o astro assume protagonismo – com perdão do trocadilho-  quando se aborda dharma e karma.  Nádia Oliveira, professora da Gaia e colunista da Bons Fluídos, trouxe recentemente uma simbologia que explica o valor e força do tempo em nossas vidas.

Diz a astróloga” imagine que você tenha em seu quintal uma plantação de chuchu, que sempre cresce rapidamente e em abundância. Em um dado momento você tem vontade de comer uma salada de cebola e tomate, mas tudo o que você plantou foi chuchu. Apesar da vontade de uma salada mais incrementada, só é possível comer uma salada de… chuchu.

Como a maior parte das pessoas sabe que só se colhe o que se planta, você resolve cultivar cebolas, cenouras e tomates em sua horta. E da mesma maneira, resolve plantar morangos, já antevendo uma vontade de um dia preparar uma torta com a fruta.

Mesmo que você tenha feito o plantio, não há hoje ainda novas frutas e hortaliças para tornar suas refeições mais diversas. Nem haverá tão cedo. É preciso aguardar o tempo certo para comer uma salada, um ensopado ou uma geleia que não seja de…chuchu”.

Não importa que você tenha se transformado, arrependido ou ainda já lançado as sementes de uma nova realidade. É preciso aguardar e respeitar o tempo. Vale neste momento lembrar que por mais angustiante que seja, a espera não é é um castigo pessoal. Trata-se do resultado de uma lei universal e, portanto, amoral e impessoal, que já existia muito antes do surgimento da humanidade.

E por isso, para se viver em equilíbrio é preciso a consciência do plantar e colher, mas também do ritmo e cadência em nossa vida. A maior parte dos fracassos vem da falta de constância e da impermanência de propósitos. Mas não adianta fugir, não dá pra escapar. O tempo sempre dita as regras. E até os chuchus sabem bem disso.

 

 

Tags Related
You may also like
Comments

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *