Onde São Miguel apareceu para os homens

À primeira vista, o local pode parecer um castelo, mas na verdade, o monte abriga uma abadia dedicada ao arcanjo São Miguel. Ela é o segundo ponto turístico mais visitado na França, depois da Torre Eiffel. É uma das 4 cidades fortificadas que marcavam as fronteiras do reino na Idade Média.

Ao longo dos séculos de peregrinação, o vilarejo foi descrito muitas vezes como a visão do paraíso. Isso acontece por conta do fenômeno da maré que atinge o local, fazendo com que o mar a sua volta suba até 15 metros, transformando-o em uma ilha. Em poucas horas, o nível da água sobe e cobre o entorno do território e seus bancos de areia. A chamada maré viva acontece 2 vezes ao dia, mas apenas durantes a Lua Cheia e a Lua Nova. Você pode consultar o calendário com as datas exatas no site oficial. Este acontecimento e sua história tornaram o Monte Saint-Michel um patrimônio mundial da humanidade pela UNESCO em 1979.

A abadia foi erguida em 966 por monges beneditinos, mas o local é sagrado desde os anos 700, após o bispo Aubert ter avistado o Arcanjo Miguel do altar da capela interna da igreja. Hoje, a capela encontra-se fechada para o público por questões de preservação. Desde o avistamento, o monte virou um importante centro de peregrinação cristã na Idade Média e atrai até hoje milhões de turistas por ano.

O acesso ao vilarejo medieval pode ser feito de carro e ônibus, ou até mesmo a pé para quem deseja ter uma experiência mais parecida com a dos peregrinos antigamente.

Além da abadia, outros lugares do monte que vale a pena conhecer são a igreja paroquial, construída entre os anos 1400 e 1500, o caminho da muralha e a Grande Rue, com museus, lojas e casas datando dos séculos 15 e 16. Missas podem ser assistidas tanto na igreja, de domingo à sexta-feira, quanto na abadia de terça a domingo. Os folhetos para reza estão disponíveis em 12 idiomas e o posto turístico tem a lista de guias de oratória.

Desde 2001, a Fraternidade Monástica de Jerusalém é quem cuida das celebrações diárias na abadia. Por conta da hospitalidade deles, é possível pernoitar junto deles dentro da histórica construção católica. Para quem desejar comemorar datas específicas, fique atento à agenda do monte: 25 de março tem a procissão de Ramos e a missa da Paixão na abadia; 20 de julho acontece a peregrinação ao longo da costa; e 29 de setembro é quando acontece a festa de São Miguel.


Ricardo Hida é astrólogo, tarólogo e babalorixá. Autor do livro Guia para quem tem Guias – Desmistificando a Umbanda. Apresentador do programa “Encontro Astral” na rádio Vibe Mundial, 95,7 FM.

Tags Related
You may also like
Comments

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *