Vampiros Energéticos e Emocionais: Como se livrar?

0

O assunto é extenso, mas como a internet e a redação do portal pedem objetividade vamos resumir bastante o assunto. Se houver perguntas, não deixe de enviar para a gente.

Esqueça tudo o que disseram para você sobre vampiros. Não são criaturas com caninos avantajados, pálidos, de hábitos noturnos e que se alimentam de sangue. Os reais vampiros podem até ser vegetarianos, mas não deixam de ser um perigo em nossas vidas.

Primeiramente é importante lembrar que todos nós também, em algum momento da vida, já assumimos o papel de vampiros. O Universo pede troca, sempre. Ninguém é tão miserável que não possa oferecer nada de bom ao próximo. O vampirismo é quando alguém suga, porque está desenergizado, sem retribuir a energia. As relações, familiares, amorosas, profissionais, de amizade, exigem trocas energéticas, preferencialmente nutritivas. Se isso não ocorre, e a pessoa não está em tratamento físico, espiritual, e a doação, seja através da canalização do reiki ou do passe, não é consentida, estamos diante de um fenômeno de vampirismo energético.

Vampiros nunca querem mudar. São pessoas que insistem sempre nos mesmos problemas e assuntos.  Quando propomos uma solução, sempre acham dificuldade. Quando se sugere para irem a uma igreja, um centro, um terreiro, um médico, um terapeuta, se recusam, levantando inúmeros obstáculos. Mas adoram ligar para as vítimas e quando desligam o telefone estão ótimos, deixando o interlocutor jogado às traças e exausto.

Como agem os vampiros?

  1. Como vítimas: sempre queixosos, se julgam injustiçados e coitados. Mas se recusam a mudar atitudes ou buscar ajudas efetivas. Querem dó, apoio e ombro dos outros. São sempre repetitivos e quando contrariados, viram uma fera. Nada a ver com a pobre criatura de antes;
  2. Como bajuladores: seduzem as vítimas pela vaidade. Se colocam sempre à disposição e fazem coisas sem serem pedidas. Mas aí do paparicado se não estiver pronto para fazer qualquer coisa que o vampiro pedir. Generosidade é fazer sem esperar recompensa;
  3. Com libertinagem: Seja postando fotos em trajes primários nas redes sociais, seja através de olhares e conversas lascivas, pretende despertar o desejo da vítima. Mesmo que no final das contas não haja nenhuma interação;
  4. Como cobradores: Todas as relações exigem compromisso previamente acordados. Pais, filhos, maridos e mulheres, assim como clientes e fornecedores, patrões e empregados têm que cumprir o que lhes é atribuído claramente. O vampiro, no entanto, faz cobranças descabidas e exageradas, buscando atenção e privilégios que naturalmente não possuem, e sem oferecer nada em troca;
  5. Através da língua de víbora: Semeiam fofocas, vivem criticando, colocando pessoas para baixo. Se a vítima der ouvidos, fica seca;
  6. Chamando atenção todo o tempo: Os comportamentos inadequados servem para que os outros falem dela. Falem mal, mas falem de mim é a regra de ouro do vampiro.

Como se proteger?

Há várias maneiras. Desde amuletos até banhos. Mas a principal ferramenta é uma postura autocentrada e ética. O vampiro nunca insiste em quem está equilibrado e é honesto consigo e com os outros. Não chegam perto de quem se respeita e respeita seus instintos e intuições. Se uma pessoa não lhe traz boas sensações, evite o contato. Mas se muitas pessoas lhe trazem más sensações, faça atenção se o vampiro não pode ser você.

Serviço:

CELV – Centro Espiritualista Luz e Vida

Giras abertas de Pretos e Velhos e Caboclos

Sábados: 10h às 12h

Domingos: 17h às 19h

Endereço: Estrada Balthazar Manoel, 745, Potuverá, Itapecerica da Serra – SP

Share.

About Author

O portal dos espiritualistas tem como missão abraçar todas as vertentes ligadas a fé, e espalhar de forma positiva o conhecimento espiritual. Aqui você encontrará uma gama de assuntos das mais diversas culturas e religiões, abrindo a sua mente para a iluminação e conhecimento.

Deixe seu comentário